Executiva Nacional do PROS debate futuro do partido

Encontro Nacional com Presidentes Estaduais (Foto: Assessoria de Comunicação PROS Nacional)

 

Presidentes e representantes de diretórios estaduais do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) se reuniram nesta segunda-feira (dia 3), em Brasília, para definir os próximos passos da legenda nas eleições municipais de outubro. No encontro, parlamentares e dirigentes partidários reforçaram a união dos integrantes do PROS e condenaram a tentativa de dissidentes de tomar pela força a direção do partido.

Ao longo do dia, os representantes dos diretórios estaduais do discutiram com parlamentares e dirigentes partidários o fortalecimento do PROS nos legislativos federal, estadual e municipal. Um dos objetivos é aumentar o número de filiações e começar as articulações para formalização de candidaturas a prefeitos e vereadores em todo o país.

A Executiva Nacional do PROS também discutiu temas como empoderamento feminino e maior participação das mulheres nas eleições de outubro deste ano. Os dirigentes também debateram a inclusão social na sigla, o desafio de trabalhar em alguns estados contra candidatos com grande poder econômico e preocupação em fazer uma nova política, marcada por boas práticas e união entre os filiados.

Lideranças nacionais traçam rumos do Partido (Foto: Assessoria de Comunicação PROS Nacional)

 

Líder do PROS no Senado, o senador Telmário Mota (RR) se definiu como legalista e destacou a importância de os parlamentares da legenda trabalharem por um legislativo atuante e forte. “O Brasil tem adquirido uma nova roupagem, onde o legislativo tem de trabalhar em sintonia com a rua. Nesta sintonia conseguimos aprovar a reforma da Previdência, por exemplo, que era anseio da população há anos. Este ano teremos a votação de uma reforma tributária e o projeto de independência do Banco Central tramitando no Congresso. É importante estarmos bem preparados e unidos”, ressaltou.

O líder do partido na Câmara, deputado Acácio Favacho (AP), destacou que passado o período de turbulência dos últimos dias o partido deve trabalhar bem para as próximas eleições, tendo em mente que o grande desafio do PROS são as eleições de 2020.

A suplente de deputado federal por Goiás e presidente nacional do PROS Mulher, Maria Aparecida dos Santos, mais conhecida por Dona Cida – uma das fundadoras do partido ao lado do filho, Eurípedes Júnior –, chamou a atenção para a importância de maior inserção das mulheres na política. “Precisamos ter mais voz, trabalhar para que sejam formalizadas mais candidaturas femininas”, disse. “Nós temos garra e coragem, não somos mulheres frutas”, acrescentou.

A presidente do diretório do Pará, Joyce Thainá Alencar de Souza, lembrou a luta que o diretório enfrenta todo dia para se locomover até os locais mais distantes do seu estado para fazer filiações e contatos com os dirigentes. “Temos trabalhado incansavelmente para aumentar o número de comissões ativas do partido, viajando de barco, de carro, enfrentando alagamentos. A luta é para termos um bom resultado mais adiante. Acredito que dentro do Pará o PROS sairá das próximas eleições mais fortalecido do que hoje”, afirmou.

Da mesma forma, o secretário nacional do PROS Mais Especial, ala do PROS Mais (criada recentemente), Edberg Lopes, pediu o apoio de todos para ampliação do número de filiações e candidaturas de pessoas portadoras de deficiência. “Pretendemos fazer um trabalho bem atuante de inclusão e dar oportunidade a pessoas com deficiência para que tenham vida partidária e participem das decisões do país”, pregou.

Eleições: situação dos diretórios

Muitos dirigentes destacaram os trabalhos e reuniões que já estão sendo feitos com vistas às eleições municipais nos estados. Eles demonstraram alívio com o fim da crise observada no partido, em função da atuação irregular de uma dissidência que no início de janeiro tentou substituir, sem êxito, a Executiva Nacional. Avaliaram que seria desastroso se houvesse troca nos diretórios, faltando apenas oito meses para as eleições. Também demonstraram total apoio à Executiva Nacional.

O suplente de deputado federal Fernando Coutinho, presidente do diretório de Pernambuco, ao falar no assunto, disse que o posicionamento dos diretórios como um todo não poderia ser diferente no episódio. “Temos profunda lealdade para com o diretório nacional e, do ponto de vista jurídico e político, nunca tivemos dúvida de que a tentativa de substituição não iria prosperar”, ressaltou. Coutinho destacou que no seu estado o PROS está presente em cerca de 80 municípios, o que representa um percentual entre 80% a 85% do eleitorado de Pernambuco.

Também a presidente do partido no Rio de Janeiro, a deputada federal Clarissa Garotinho falou do trabalho que tem sido feito em preparação para o próximo pleito. “Estamos no Rio em 92 municípios, com 19 candidatos próprios do partido já confirmados e nos organizando para fazer o PROS crescer ainda mais no estado. Temos o grande desafio de fazer o partido superar a sua cláusula de desempenho”, contou.

O ex-deputado federal e ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência no governo Michel Temer, Ronaldo Fonseca, destacou a importância de todos trabalharem sintonizados com o presidente nacional do partido e as diretrizes da sigla. Na mesma linha, a presidente do diretório estadual do PROS no Piauí, Marilene Aguiar, irmã do cantor Frank Aguiar, que foi candidato ao Senado nas últimas eleições, afirmou que os integrantes do PROS precisam atuar unidos por uma única causa. “Assim saberemos superar as dificuldades e fazer valer nossas vontades. Os percalços pelos quais passamos ajudaram a nos fortalecer”, ressaltou.

Também o presidente do diretório de Santa Catarina, o surfista Tanio Marçal de Mello Barreto Filho, disse que no seu estado o PROS está se organizando para disputar eleições em 70 municípios. Segundo ele, na capital, Florianópolis, o partido tem a possibilidade de indicar o candidato a vice-prefeito na chapa da candidata Ângela Amim (DEM) à prefeitura. “Estamos amadurecendo enquanto partido e a última eleição foi boa para isso, para que pudéssemos avaliar a performance em cada município”, destacou.

O deputado federal Toninho Wandscheer, que representou o presidente do diretório do PROS no Paraná, seu filho Alisson Wandscheer, disse que o diretório sofreu uma “invasão” ao se referir à tentativa frustrada de mudança dos dirigentes. E frisou que os integrantes do diretório, como um todo, partiram em defesa da Executiva Nacional porque consideram o partido sua casa. “O PROS é a nossa casa, o local onde a gente trabalha”. “O que fizeram foi um crime contra todos nós. Um crime que resolvemos pela via legal”, frisou.

Gisela Simona, do Mato Grosso, atual presidente do Procon naquele estado e suplente de deputado federal – considerada a mulher com maior número de votos na história política daquele estado – afirmou que a última coisa que as pessoas que invadiram o partido pensaram foi no PROS. “Enquanto estamos aqui trabalhando e buscando a unidade, enquanto os que investiram contra o partido de forma fraudulenta nunca pensaram nisso. Eles tentaram denegrir a nós como um todo, denegrindo a direção do PROS”. Ela lembrou que é preciso mudar a chamada velha política, para acabar com as práticas antigas de conseguir votos e disse que a legenda carrega esse comprometimento com a mudança.

O ex- deputado distrital do Distrito Federal Berinaldo Pontes pediu, na sua fala, uma salva de palmas pelo que chamou de “respeito à democracia no país”. “Quem de fato respeita a democracia na sua integridade ou diz que respeita não tenta esse tipo de estratégia, que atenta contra a história do partido”, disse, em referência à tentativa de substituição do diretório nacional.

Segundo ele, “a tentativa de golpe frustrado, deprimente e rasteiro veio para provar que o atual presidente, Eurípedes Filho, tem o absoluto apoio de todos e mostrou que o PROS possui atuação organizada”. “Este será um ano de vitória para o PROS, pois elegeremos muitos prefeitos e vereadores e vamos fortalecer o movimento jovem dentro do partido”, pregou.

O presidente nacional da sigla, Eurípedes Júnior, agradeceu o apoio dos representantes dos estados e disse que o partido desde a sua criação tem ampliado a qualidade dos seus integrantes, sobretudo dos parlamentares.

“Temos hoje a melhor bancada do país e vamos avançar ainda mais”, afirmou o presidente nacional.

Eurípedes disse que em nenhum momento deixou a tranquilidade de lado em todo o episódio porque sabia da legalidade das ações empreendidas por ele e sua equipe e da irregularidade do ato dos dissidentes que tentou destituir a Executiva Nacional. Eurípedes também manifestou total apoio do partido aos estados para ajudar no fortalecimento do PROS nas eleições deste ano.

Programação do evento

A primeira reunião dos representantes de diretórios estaduais do partido de 2019 estava programada há meses. Além de esclarecimentos do presidente sobre os últimos acontecimentos, da apresentação por ele de provas e documentos diversos sobre a tentativa de golpe, Eurípedes Júnior disse que possui nada consta criminal e defendeu a verdade dos fatos.

Ele falou, ainda, ao lado da área técnica do PROS sobre questões relacionadas à regularização do CNPJ de municípios e estados, prestações de conta municipais, estaduais e nacional, e a segurança institucional para construção a longo prazo do partido.

Outras questões tratadas foram expectativas e projeções da legenda para os próximos anos, o cenário eleitoral nos estados e municípios e informações sobre o fundo partidário. Iniciada às 9h, a reunião se realizou até o início da noite, por volta das 18h no Brasília Palace Hotel.