Justiça procura articuladores do golpe frustrado contra o PROS

Os pseudo autoproclamados dirigentes do PROS Nacional, Marcus Holanda e Edmilson Boa Morte, não apresentaram a documentação solicitada pelo juiz João Luís Zordo, da 15ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Os golpistas estão se escondendo da citação que determinará que apresentem documentação no prazo estipulado de 48 horas.

O magistrado determinou a entrega à Justiça das provas para a narrativa fantasiosa que os ex-dirigentes criaram para o golpe frustrado: cópias dos Procedimentos Administrativos Disciplinares instaurados contra integrantes da Executiva Nacional, o Ato de Convocação para a suposta reunião realizada no dia 11 de janeiro, assim como a Lista de Presença Assinada e a Ata do suposto encontro.

O juiz destacou no despacho que os fatos narrados pelo Diretório Nacional do PROS sinalizam a “ocorrência de ingerência no livre funcionamento do partido político, contra as diretrizes definidas no estatuto partidário sobre escolha, formação, duração de seus órgãos permanentes e provisórios”. “Impedir o acesso dos autores aos procedimentos que tramitaram a sua revelia e que dizem respeito diretamente a eles e ao livre exercício de suas funções partidárias, representaria ofensa direta aos princípios do sistema democrático-representativo, do pluripartidarismo, da publicidade e do contraditório.”

Confira o despacho do Magistrado