PROS pede que PCDF esclareça condições mentais do pseudo autoproclamado presidente do partido

O Diretório Nacional do PROS ingressou com uma representação junto à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) contra o ex-secretário nacional de comunicação do partido, Marcus Vinícius Chaves de Holanda, perito papiloscopista na instituição há mais de 25 anos e que, ao que se sabe, está de licença-médica para tratamento psiquiátrico. O partido pede que seja instaurado um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar as infrações disciplinares que foram, e ainda estão sendo cometidas pelo servidor público. O PROS questiona que, se o ex-dirigente está de licença-médica para tratamento psiquiátrico, como pode se autoproclamar presidente de um partido político? Na avaliação do PROS, essa conduta demonstra má-fé, já que como servidor público Holanda está impossibilitado de exercer suas atividades em razão de problemas psiquiátricos. O ex-dirigente foi um dos articuladores do golpe frustrado contra a direção nacional do PROS no último dia 11 de janeiro, em parceria com o ex-secretário nacional de multiculturalismo e igualdade racial, Edmilson Santana da Boa Morte. Ambos articularam uma invasão, sob o fundamento de possíveis irregularidades no partido, tendo convocado uma reunião, sem amparo legal, para tentar justificar a tomada da direção do partido político.

Representação do PROS na PCDF