Samuel Almeida, candidato a prefeito de Goiânia (GO), afirma que no primeiro dia de governo vai preparar a capital goiana para a vacinação

Além de investimentos em saúde, o candidato do PROS a prefeito de Goiânia reforçou soluções para fomentar as vocações que Goiânia tem nos setores moveleiro, têxtil e as específicas de cada bairro

 

 

“A partir de janeiro vou procurar seringas para vacinação em massa da população de Goiânia. Nós temos hoje, a produção da vacina em larga escala por muitos países, e não se pensa ainda em compra de insumos, ou seringas. A nossa prioridade é vacinar a população da nossa cidade”, enfatiza Samuel Almeida (PROS-GO), entrevistado da última segunda-feira (19/10), do Goiás Record. O candidato destacou ainda que é importante na área da saúde e resolver a questão das cirurgias eletivas que estão paralisadas desde o início da pandemia.

Preocupado com a retomada da economia, Samuel destaca soluções para fomentar as vocações que Goiânia tem nos setores moveleiro, têxtil e as específicas de cada bairro. “Com o Vale Creche no valor de R$ 300 estamos pensando em duas situações, a primeira em relação a vaga para as crianças, e a segunda, sobre a possibilidade de novos empregos que serão gerados através dessas creches. Estamos pensando junto com nossos especialistas no desenvolvimento dos bairros, fomentando a capacidade de desenvolvimento de cada bairro através de parceiras com as universidades”, destaca Samuel Almeida.

O candidato cita como exemplo a necessidade de atrair uma indústria têxtil limpa para Goiânia. “O Brasil é o quarto produtor mundial de algodão, e Goiás está entre os cinco primeiros do País. A gente vende algodão para outros estados e compra tecido, temos que investir na vocação do município”, completa o candidato à prefeitura de Goiânia.

 

Transporte

 

De acordo com Samuel, o modelo atual de transporte público não funciona e precisa ser resetado para se desenhar uma nova malha de linhas de ônibus e adoção de bilhete temporal. “Hoje, temos um trajeto negativo. Por exemplo, você tem uma linha que sai do Jardim Guanabara para ir a Vila Itatiaia, que são próximos, e essa linha faz um percurso inverso, contrário. Vai até a Praça da Bíblia para depois voltar para o Itatiaia. Precisamos de um novo modelo, com linhas curtas, rápidas e diretas”, enfatiza Samuel.

Segundo o candidato do PROS, atualmente a Região Metropolitana tem 6 mil pontos de ônibus, desses 3.700 estão dentro do limite de Goiânia, e a maioria estão danificados e sem estrutura para receber o passageiro.

“O usuário, muita das vezes, não tem um abrigo para aguardar o ônibus. Então, como pensar em um transporte público decente? Começamos primeiro com essa boa articulação para financiamentos da área”, explica Samuel.