Zenaide Maia propõe taxar o 1% mais rico da população para combater a fome dos 30% mais pobres do país

Com o objetivo de dar continuidade ao auxílio emergencial oferecido pelo governo federal às famílias mais carentes do Brasil, a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) propôs essa semana a taxação de grandes fortunas para financiar a continuação do auxílio emergencial. A parlamentar defende o benefício, que é fundamental para o combate à desigualdade no país.

 

Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

Fonte: Agência Senado

A proposta busca taxar o 1% mais rico da população para combater a fome dos 30% mais pobres. A medida, que depende de uma Reforma Tributária, não acrescentaria gastos adicionais para o governo federal e contribuiria para existência de um programa permanente como o bolsa família.
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente o Brasil registra cerca de 14 milhões de desempregados. Esse número reflete a vulnerabilidade das famílias mais carentes do país durante a pandemia.